O Centro Hospitalar da Universidade de Montreal (CHUM) é um dos maiores fornecedores de serviços de saúde do Canadá. A Tetra Tech, como parte de uma parceria público-privada, forneceu estudos, projetos, plantas e especificações finais e suporte técnico durante a construção do novo centro de pesquisa do CHUM. O projeto como um todo consistia na construção de um novo centro de pesquisa em um terreno adjacente ao futuro local do CHUM.

A construção do novo centro de pesquisa incluiu as seguintes unidades para operação:

  • Uma fusão de dois laboratórios (pesquisa básica e pesquisa em saúde coletiva)
  • Instalações para imagens celulares, engenharia de imagens e biomédica, pesquisas em áreas de genômica, transcriptômica, metabolômica e proteômica, monitoramento de respostas imunológicas, guarda e modelagem de animais e biologia computadorizada
  • Laboratórios de suporte integrados
  • Administração de pesquisas
  • Pesquisa clínica centralizada
  • Escola de saúde pública
  • Cíclotron para a produção de radioisótopos emissores de pósitrons
  • “Centre intégré d'enseignement et de formation” ou CIEF (centro integrado de ensino e formação)

Estas unidades foram construídas em dois edifícios (o edifício Viger, de 15 andares, e o Saint-Antoine, de 6 andares), ambos conectados por uma passarela.

A demanda de energia prevista era de 7 MW, a carga na rede essencial era de 5 MW e redes energizadas com 600 kW de fontes de energia contínuas (back-up) foram planejadas para as demandas de tecnologia da informação e equipamentos médicos específicos. As fontes de energia essencial contínuas foram projetadas com base em uma configuração redundante tipo n+1.

Este foi um projeto em parceria público-privada e assim o orçamento foi definido e o cronograma previa multas para atrasos no projeto. A coordenação e o planejamento entre as equipes de projetistas e contratados correram muito bem e foram fundamentais para o sucesso do projeto. As competências de gestão de projetos foram essenciais para lidar com as disciplinas em um projeto de tão larga escala.

Os sistemas elétricos incluíam, entre outros, uma fonte de alimentação de 25 kV e uma conexão planejada para o futuro prédio do CHUM, uma estação de 25 kV e três subestações de transformação e distribuição para converter 25 kV para 600 V, quatro unidades de geração (das quais três são sincronizadas a 2.500 kW) e três unidades de alimentação de força.