O Dr. Eduardo Yassuda têm vasta experiência em engenharia costeira e oceanográfica, modelagem de hidrodinâmica, qualidade da água e processos ecológicos em sistemas costeiros e estuarinos. Ele tem estado ativamente envolvido na implementação e melhorias de mais de uma dezena de modelos hidrodinâmicos e de qualidade da água para locais de todo o mundo.

Nos últimos 25 anos, o Dr. Eduardo ajudou a conectar a engenharia com a ciência oceânica – e realizou um sonho de infância de se tornar oceanógrafo. Durante o curso de doutorado, ele se especializou em modelagem numérica de hidrodinâmica e qualidade da água. Como diretor dos serviços costeiros e oceanográficos da Tetra Tech no Brasil, Dr. Eduardo comanda uma equipe de 40 pessoas que fornece serviços de modelagem preditiva e simulatória para o setor de petróleo e gás, portos e terminais e zonas costeiras no Brasil e no mundo. Eles também projetaram sistemas operacionais de alerta e previsões marinhas.


Como os serviços de modelagem da Tetra Tech ajudam as autoridades portuárias e os clientes do setor de petróleo e gás?

Os clientes normalmente buscam dois diferentes tipos de modelagem, com base em uma escala cronológica. Então se você teve um acidente – um derramamento de óleo ou se alguém se perdeu no oceano – tentamos reproduzir o evento para dar suporte à avaliação dos danos, limpeza ambiental e contenção, ou atividades de busca e resgate.

A outra possibilidade é olhar para frente – prever os impactos potenciais de eventos, instalações portuárias ou operações offshore. Simulamos condições climatológicas ou eventos extremos. Nossos serviços são frequentemente usados para relatórios de impacto ambiental ou projetos de planejamento de contingências.

Recentemente desenvolvemos ferramentas de modelagem operacional que envolvem a previsão de condições meteorológicas e oceanográficas por um período de tempo – digamos os próximos cinco dias – com um alto grau de precisão e alta resolução na área de interesse. Por exemplo, se um porto tiver uma operação de mergulho ou dragagem onde a condição do mar for crítica para as operações, podemos ajudá-los a prever e gerenciar melhor estas operações e a ter mais segurança e economia na maneira como empregam seus recursos. Por exemplo, ajudamos uma autoridade portuária local a monitorar melhor e conter a pluma de um projeto de dragagem. Ao executar a dragagem quando as condições do mar e meteorológicas estavam favoráveis, eles puderam impedir a expansão da pluma para áreas sensíveis.

Os seus serviços de modelagem ajudam a tornar as ações de resposta mais eficientes?

Sim, por exemplo, temos contratos aqui no Brasil com a Petrobras e outras empresas de energia que contam conosco para ter previsões de correntes e ventos. Se ocorrer um acidente, eles nos dão a sua descrição, o local e o tipo de vazamento de óleo. Nós fornecemos previsões em duas horas, e com as informações que fornecemos, a equipe de resposta pode planejar e reagir melhor e com mais eficácia. Desde o acidente da Deepwater Horizon no Golfo, ficou claro que acidentes ocorrerão. É uma questão de estar preparado e ser capaz de reagir rapidamente.

Também auxiliamos a Marinha do Brasil e a Petrobras em várias operações de busca e resgate. Baseado no local onde encontraram destroços, conseguimos criar simulações para ajudar as autoridades a definirem as áreas ideais de busca.

Como a Tetra Tech está ajudando a desenvolver um melhor controle de tráfego para os portos?

Há vários portos, a maioria na Europa, usando Sistemas de Informações Marítimas de Tráfego de Navios (VTMIS) – isto é como o controle de tráfego aéreo, mas para navios. Estamos trabalhando com a Marinha do Brasil para desenvolver diretrizes para os portos brasileiros. Também estamos trabalhando com a Autoridade Portuária de Santos, que é o maior porto da América do Sul, pois eles querem implementar este sistema VTMIS e precisarão de modelagem operacional para a zona costeira para ajudar a guiar e controlar os navios que se aproximam dos portos. Isto é inclusive mais complicado quando os portos têm que trabalhar com condições de maré favoráveis para acomodar novos grandes navios.

Os seus modelos funcionam em ambientes costeiros?

Até recentemente havia modelos offshore para todo o oceano e modelos separados para as áreas costeiras. Estes se comunicavam apenas com base na imposição de um conjunto de condições limítrofes, o que impedia que o modelo costeiro previsse situações reais. Desenvolvemos modelos globais que podemos conectar com modelos costeiros locais específicos em vez de impor uma condição limítrofe. Então podemos prever o nível do mar, correntes e condições de inundações usando ferramentas modernas, o que proporciona uma previsão precisa das condições costeiras.

Como a sua técnica de coleta de dados melhora sua capacidade de fornecer soluções a seus clientes?

Iniciamos com a coleta de dados para atender às expectativas e exigências dos clientes. No geral tem havido um conflito entre programas de coleta de dados e programas de modelagem. Os modeladores culpam os dados ruins e os responsáveis pelos dados não projetam seus programas de coleta com o objetivo de acomodar a importação para modelagem. Com experiência em ambas as áreas, podemos auxiliar os clientes a desenvolver programas de monitoramento que funcionem para ambas as finalidades.

E nossos serviços não terminam com a modelagem. A Tetra Tech pretende fornecer ao cliente uma solução abrangente para seus problemas costeiros e oceanográficos. Isto envolve dados, modelagem, análise e engenharia.