A Tetra Tech firmou parceria com os Engineers Without Borders (EWB - Engenheiros sem Fronteiras) do Canadá, para prestar suporte à iniciativa Unite to Unlock (união pelo desenvolvimento), a maior conferência anual do Canadá para mudanças sociais e desenvolvimento internacional. Mais de 700 representantes - entre estudantes e profissionais das áreas de engenharia, ciências sociais, comércio e desenvolvimento internacional - reuniram-se em Montreal, Quebec, em janeiro de 2015.

O foco da conferência se concentrou na geração de mudanças sociais em cinco áreas: serviços públicos adaptáveis, liderança em engenharia para o século XXI, sistemas inclusivos de fornecimento de alimentos, pequenas empresas e negócios em desenvolvimento que agregam valor social, tríplice linha de base (incorporando impactos sociais, econômicos e ambientais) para mineradoras canadenses. Os participantes exploraram estruturas e abordagens em cada uma dessas áreas temáticas e participaram de desafios em projetos que se aplicam a esses conhecimentos no âmbito dos problemas da vida real.

Além de participar na conferência, a Tetra Tech promoveu a conferência utilizando a mídia social, inclusive posts ao vivo no Twitter durante o evento. Veja o resumo do evento nas redes sociais, clicando aqui.

A conferência reuniu funcionários da Tetra Tech da Califórnia, de British Columbia, Alberta e Quebec. Alguns destaques de suas experiências na conferência estão relacionados a seguir.

Belinda Li, engenheiro de projetos, colaborou na abertura da conferência, compartilhando a história de sua jornada na ESF. Sua experiência interagiu com as histórias de outros profissionais na abertura, gerando uma história comum de indignação com o status quo, porém de esperança que as pessoas possam se unir para criar um mundo melhor.

Belinda retornou recentemente de uma missão de dois anos no exterior, como voluntária em uma equipe de recursos hídricos e saneamento. Ela discursou sobre os conceitos por trás dos serviços públicos adaptáveis, utilizando estudos de caso de seu trabalho recente em Malawi. Ao oferecer seus conhecimentos e auxiliar nas sessões, Belinda discursou para voluntários novos e potenciais sobre o trabalho no exterior e o que esperar do setor de recursos hídricos e saneamento.

Shayne Smith, vice-presidente de desenvolvimento comercial e relações governamentais, é o presidente do Conselho Diretor da ESF do Canadá e um dos líderes da ESF há bastante tempo. Como presidente do conselho, ele presidiu também a Assembleia Geral Anual da ESF do Canadá. Seu trabalho envolveu a atualização organizacional, a eleição da mesa diretora e uma sessão em que os membros tiveram a oportunidade de fazer perguntas sobre a organização e apresentar suas recomendações.

Jabiz Sharifian, gerente de departamento, e Guy Chamard, gerente de projetos, fizeram uma apresentação sobre a gestão de projetos de mineração em países em desenvolvimento. Foi uma sessão introdutória para estudantes e pessoas que trabalham em outras áreas, para que pudessem compreender os desafios e as oportunidades dos projetos de mineração.

Lauren Quan, engenheira de projetos, foi um dos membros da equipe da conferência que administrou a logística nos bastidores. Ela também presidiu a conferência de 2013 e continuou a contribuir com sua especialização nas conferência subsequentes. Desde a organização de profissionais de hotelaria e voluntários para as conferências até a coordenação de suprimentos e a estruturação das salas, ela garantiu o sucesso da conferência.

Laboratório de Mudanças em Engenharia

Além de ser orador na conferência, Jabiz foi o representante da Tetra Tech no primeiro laboratório de mudanças em engenharia, lançado pela Engineers Canada e pela ESF do Canadá, e promovido pela Reos. O laboratório identificará e tratará dos desafios da profissão de engenheiro no Canadá. Líderes de 36 organizações, representando universidades de ponta, associações profissionais, setor privado, setor público e sociedade civil, identificaram características atuais que definem a profissão e discutiram ideias para o seu futuro.

O laboratório serve como plataforma contínua de colaboração para o tratamento dos desafios atuais, começando com as seguintes ações: desenvolvimento de uma comunidade de profissionais de liderança em engenharia, promoção da diversidade, revisão do currículo de engenharia para a formação de engenheiros bem preparados, promoção da comunicação no âmbito do setor e com o público, desenvolvimento de um programa de envolvimento de jovens em ciências e engenharia, e a redução de barreiras à admissão em programas de graduação em engenharia. Jabiz pretende se reunir com outros participantes três a quatro vezes ao ano, bem como trabalhar em iniciativas de colaboração relativas aos desafios identificados.